Os números Pornográficos

Os números da pornografia
31
1

Todos ficamos chocados com o assassínio da pequena Valentina, mas ninguém ficou chocado com os mais de 15 portugueses que morreram sozinhos numa cama vítimas de COVID10 nesse mesmo dia. Temos agora a noção que quando morre uma pessoa é uma tragédia, mas quando morrem dezenas ou milhares é apenas Estatística.

A estatística é a ciência ingrata dos grandes números, e é muitas vezes mal interpretada por todos nós. Um exemplo flagrante da ignorância das probabilidades da estatística é que todos nós jogamos no Euromilhões com a esperança que algum dia vai-nos calhar os números na sorte, mas ninguém pensa que é mais provável estar numa esplanada a beber uma cerveja e ser atingido por um meteorito do espaço.

Mas nem tudo é cruel na estatística, e um exemplo hilariante da ciência estatística são os números da pornografia.

E quando todos pensavam que a maioria dos downloads da internet são música e filmes, saibam que – e segundo a estatística divulgada pelos motores de pesquisa –  25% das pesquisas na internet e 35% dos downloads da internet tem a ver com o sexo e com a pornografia.

E os números não param por aqui. Sabemos também que 70% dos homens entre os 18 e os 24 anos visitam um site pornográfico pelo menos uma vez por mês, e que os maiores consumidores de pornográfica são homens casados entre os 35 e os 49 anos.

Mas se todos pensam que os homens são uns grandes tarados que andam por aí, é preciso dizer que 30% dos utilizadores de pornografia na internet são mulheres. Surpreendidos? Mais surpreendidos ficarão ao saber que o dia de maior consumo de pornografia é aos domingos – que devia ser o dia de ir à missa comungar – mas é o dia em que se vê mais pornografia na internet.

E o pior de tudo é que os números dos estudos dizem que 56% dos divórcios no mundo são causados pela obsessão doentia de sites pornográficos, o que parece explicar os dois divórcios de um amigo meu.😊

E como se tudo isto não bastasse, sabemos que, por cada segundo, 28 mil pessoas estão na internet a ver pornografia e que isso rende, nada mais, nada menos, que 3000 euros por segundo para uma indústria que passa ao lado dos impostos da maior parte dos países.

Mas tudo isto deve ser indiferente para a maioria das pessoas, pois não conheço uma pessoa que seja, que confessasse que já visitou, ou ainda visita, sites pornográficos.

O meu caso deve ser uma tragédia, porque com 58 anos, e segundo a estatística, eu visito um site pornográfico uma vez por ano.